o-INTERNATIONAL-SPACE-STATION-facebook.j
Biodiversidade com a 
NASA

Em uma parceria com a NASA, o IASEA promoveu um bate-papo ao vivo, por telefone via satélite, entre o astronauta Mike Barrat em órbita na ISS e estudantes de 3 escolas de Paraty - RJ.

Slide1
Slide2
Slide3
Slide4
Slide5
Slide6
Slide7
Slide8
Slide9
Slide10
Slide11
Slide12
Slide13
Slide14
Slide15
Slide16
Slide17
Slide18
Slide19
Slide20
Slide21
Slide22
Slide23
Slide24
Slide25
Slide26
Slide27
Slide28
Slide29
Slide30
Slide31
Slide32
Slide33
Slide34
Slide35

O objetivo do projeto: fomentar a Consciência Socioambiental e desenvolver Habilidades Socioemocionais em jovens estudantes brasileiros.

DSC_0157%20copy.JPG

Pela primeira vez estudantes brasileiros  tiveram a oportunidade de falar ao vivo com um astronauta a bordo da Estação Espacial Internacional da NASA. Os estudantes mal podiam acreditar, todos estavam extremamente motivados e envolvidos.

DSC_0035%2520copy_edited.jpg

O projeto envolveu duas semanas de atividades: primeiro os estudantes participaram de Oficinas e Palestras sobre a Preservação do Planeta e da  Biodiversidade. Depois, a partir de todo o conhecimento adquirido, eles prepararam perguntas para o Astronauta Mike Barratt.

 

As atividades das oficinas foram construídas com o propósito de desenvolver cinco importantes habilidades socioemocionais nos jovens: Pensamento Analítico, Pensamento Criativo, Autoestima, Autoconfiança  e Trabalho em Equipe.

Biodiversidade com a NASA

1

Durante uma semana de atividades, 60 estudantes de 3 escolas de Paraty ( RJ- Brasil) tiveram aulas com palestrantes  muito especiais, entre eles: 

  • Dr. Simon Boxall, Oceanógrafo, National Oceanography Centre, Southampton

  • Dra. Karen James, Pesquisadora, Natural History Museum ,  London

  • Dr. Kevin Zelnio, Cientista de Biologia Marinha e  Conservação, Scientific American

 

DSC_0022.JPG

2

3

4

Ao final das oficinas os alunos prepararam várias perguntas para o astronauta Mike Barratt, a partir de tudo o que aprenderam e debateram durante a semana. Nove perguntas foram selecionadas. Escolhidas as perguntas, elas foram traduzidas para o inglês, e nove crianças foram selecionadas para fazer as perguntas ao vivo. Esses estudantes tiveram aulas de inglês para poder entender e ler suas perguntas. Todos estavam tremendamente envolvidos com a experiência.

Da Nasa, veio a Paraty o Dan Garrison, Cientista Chefe do Diretório de Pesquisa Astromaterial e Ciência Exploratória da NASA (ARES - NASA's Astromaterial Research & Exploration Science Directorate). O Dan também é conselheiro do Departamento de Programas Educativos da NASA, e por isso ele foi escolhido para vir ao Brasil e  ajudar em toda a conexão entre Paraty, Houston e a ISS.

E chegou o  dia do evento. No palco as crianças, lado a lado, tinham suas perguntas na mão. Na plateia, família, amigos, convidados e muitos jornalistas. O astronauta Mike Barratt só teria conexão com Paraty durante 9 minutos, tempo de sobrevôo da estação espacial sobre a costa verde brasileira. Todos estavam muitos ansiosos. Daria tudo certo, a conexão funcionaria?

DSC_0138.JPG
DSC_0173.JPG

5

6

Silêncio total. A atenção de todos estava em Dan Garrison, no canto do palco, em conexão com Houston. E de repente, sim! Escutamos a voz do Astronauta Mike Barratt, direto da ISS. A conexão deu certo. Tínhamos nove minutos. As crianças começaram a fazer as perguntas (que já haviam sido enviadas 2 dias antes para o astronauta).

As respostas do Mike Barratt foram incríveis. A conexão terminou, e muitos aplausos. As crianças,  que foram rodeadas por jornalistas, estavam orgulhosas de si e muito autoconfiantes, diante de microfones, luzes e câmeras. Missão Cumprida!

DSC_0011%20copy%202.JPG

Esse projeto tornou-se uma experiência inesquecível para todos os participantes.

 
Mike Barratt.jpg

Para a estudante Sabrina de Araújo, 12 anos, autora de uma das questões, participar das oficinas e fazer perguntas ao astronauta "foi uma experiência incrível e inacreditável" e fez com que elas e os amigos se interessassem mais por ciências e meio ambiente. Aluna da rede pública, filha de um marceneiro e de uma doméstica, durante as entrevistas com os jornalistas ela pediu laboratório de ciências para escola e mais projetos como esse, que auxiliam o aprendizado  e "deixam os jovens mais inteirados".